terça-feira, 29 de abril de 2014

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Como terminar um poema de amor

Será que vai?
Será que vai ver?
Quando escrevo
Todo o tempo é pra você
Quando penso em letras
Letras são a sua cara
Elas saem soltas
Nuas
Elas são
Bem mais que tuas
Uma declaração
De amor
Será que vai ter?
Festa no coração
Dias de paz
De mais
Paixão
Demais afetos
De compreensão
De certo
Passo a passo
Descobrindo o pra sempre
São tantas palavras pra dedicar
Tantas músicas
Tantos desejos
Tanta coisa que eu quero te dar
Que a vida vai fazendo forma
Vai virando plano
E esse amor que eu tenho em mim
Fica cada dia mais inteiro
Como um poema de amor
Que acaba
Sem ter fim

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Volta logo

Por que não passa a hora agora
Eu aqui
Você aí
Tão longe
Antes
Tão perto 
E tão longe
Momento
O meu medo 
Minha vontade de passar
Meu desespero de hospital
Cadê alento?
Cadê ciência?
Você não chega
Eu me apavoro
Entre passos
Barulhos
Corredores
E boletins médicos
Exagerado? 
Talvez
Mas nada é mais importante agora
Que te ver aqui
Deitadinho
Quentinho
Com mimos
E um sorriso
Que diz
Tá tudo bem
Volta logo

domingo, 20 de abril de 2014

Nunca mais

Faz dois dias que eu não choro
Não porque eu não quero
Mas sim porque não posso
Estou letárgico
No automático
Fingindo
Não sou bom ator

Eu perdi o amor da minha vida
E isso preciso considerar
Errei com ele
Como jamais havia errado

Dessa injustiça eu não consigo me separar
Sempre tão justo
Sempre tão são
Sou agora um Sísifo
Rolando uma pedra
Olhando uma pedra
Rolar até o chão
Descendo a montanha
Subindo a montanha
Consiste nisso a razão

Daqui sei
Nunca mais
E isso é promessa
Juramento
Erro assim com alguém
Não suportaria mais uma vez

sábado, 19 de abril de 2014

Excerto

"Sonhos metafóricos
Eu estava com a psicóloga
E tinha um relógio
Parado
Daí fiz um acordo mental com o relógio
Se fosse para eu ficar com você
Ele funcionaria
Dai fechava os olhos
E pensava coisas boas
Ele funcionava"

(B.J.F.)

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O cansaço não me venceu

Não sei mais o que fazer
Sinceramente
Não sei mais meu coração
Eu tento
Mas não consigo virar a página
Minha felicidade está doente
Não tem espaço pra pensar em novo amor
Sei que o tempo faz passar
Mas que tempo esse que não passa
Temo
Nunca passará
Não tem jeito
É um sacrifício
Desesperançado
Fica a certeza
De que perdemos muito
Sem nós dois
Orgulho
Perdão
Nem depois
Parceria
Missão
Pra amanhã
Mais nada
Te perdi de vez?
Aquele imenso amor
Se foi de vez?
Era imenso mesmo?
Um amor capaz?
Eu sei que é
Ou era
Pensei que eu fosse passar ileso pela vida sem carregar um grande amor
É que nos últimos tempos eu achei que esse amor estaria comigo pra sempre

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Tanto amor naquele abraço

Ontem eu conversei com Deus
Na minha oração tinha você e eu
Pedi pelo futuro
Um sinal
Aviso
Pedi pra saber do destino
Junto ou separado
Seguir, mas pra qual lado?
Dormi
Sonhei
Casa da sua família
Eu lá meio abalado
Acolhimento
No seu quarto
Na sua cama
Dormíamos
Abraçados
Tinha tanto amor naquele abraço
Deus!
Exclamei já acordado
Meu corpo estava leve
Minha alma descansada
Chorei
Tinha tanto amor naquele abraço
Que eu chorei
De tão real
Peguei o telefone
Mas a coragem não veio
Não veio
Botei até Deus no meio
E me parece que Ele é a favor

terça-feira, 15 de abril de 2014

Amor ou nada

Nunca chega?
A estrada é longa.
Tem combustível pra chegar?
Tem.
E se eu quiser descer?
Um carro vem atrás e pode te levar.
Mas, e se isso não acontecer?
Talvez você tenha que seguir sozinho pela estrada até achar um lugar onde você possa parar.
Isso me apavora.
A mim também.
Que garantias temos que vamos chegar juntos?
Nenhuma. No final das contas isso me parece ter mais a ver com vontade do que com qualquer outra coisa.
Você pode encostar um pouco?
Posso.
Me permita abrir a porta, sair do carro, sentir o que tem lá fora e ver você se distanciar lentamente. Mais devagar, bem mais devagar.
Me permita dar ré, abrir a porta, te por pra dentro.
Me permita entrar de novo.
Estava frio.
Muito.
Eu sou calor.
Me aquece calor.
Eu te aqueço.
Esse espaço da vontade fica entre o carro e toda a estrada pela frente.
Fica. E os olhos sempre nela, na estrada, à frente, adiante.
Do que mais mesmo um homem precisa?
De nada?

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Me

Me rechaça
Me pirraça
Me destrói
Me magoa
Me pragueja
Me fere
Me joga na cara
Me critica
Me fode
Me zomba
Me faz de gato
Me faz de sapato
Me usa
Me pisa
Me culpa
Me odeia
Me esfola
Me bata
Me execra
Me bloqueia

Mas volta pra mim

domingo, 13 de abril de 2014

Temos nosso próprio tempo

Somos novos
Mas tão certos
Somos juntos
Um dar de mãos
Somos grãos
Sementes
Pequenas árvores
Entre podas e frutos
Colheita
E seca
Estiagem
E safra especial
Somos o não que é sim
O não que é talvez
Que é não, mas...
Juntos somos fortes
Firmes
Convictos
Teimosos
Somos tão jovens
E já amamos assim


Largo tudo




Largo tudo
Se a gente se casar domingo
Na praia, no sol, no mar
Ou num navio a navegar
Num avião a decolar
Indo sem data pra voltar
Toda de branco no altar
Quem vai sorrir?
Quem vai chorar?
Ave maria, sei que há
Uma história pra contar

sábado, 12 de abril de 2014

Futuros Amantes


Não se afobe, não

Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
                                                                Milênios, milênios no ar

Yin Yang

1 - Sua ligação diária
2 - Sua admiração pelo meu trabalho
3 - Seu beijo
4 - Nosso sexo number one
5 - Nossa telepatia
6 - Seu sorriso ao me ver te esperando na garagem na saída do seu trabalho
7 - Seu sorriso em qualquer circunstância
8 - Sua mãozinha linda
9 - A minha fungada de cachorro no seu cangote
10 - Nossas DR's intermináveis construtivas
11 - Nosso respeito aos nossos limites
12 - Nosso Reveillon em Araçatuba
13 - O som do trem que corta a cidade e o nosso coração
14 - Os seus olhos sérios
15 - Seu amor sincero
16 - Sua teimosia
17 - Seu orgulho
18 - Sua insensatez
19 - Seu ciúmes sem motivo
20 - Sua impaciência e ansiedade disfarçada de "eu funciono assim"
21 - Suas verdades vingativas
22 - Seus ataques de raiva
23 - Seu cabelo quando corta demais
24 - Seu pratão no vegetariano
25 - Sua eventual falta de otimismo
26 - Nossos desencontros
27 - Nosso tempo perdido
28 - Nosso natal separados
29 - Suas exigências
30 - Sua rapidez certeira de atingir o meu ponto mais fraco

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Não teve um só dia que eu não sonhei com você

Não teve um só dia que eu não sonhei com você
Descubro agora como é conviver com a dor
Me aterroriza saber que a outro alguém você se entrega
E me desespera cada vez que eu me forço a o mesmo fazer
Supus felicidade no teu nome
Brinquei de amar tardio e sucumbi
Perdi meu brio, sonho, conduta em meu tropeço
Faltei com o que seríamos e não será
Confesso ser bem mais que um desafio
O espaço tempo, a distância, atravessar
Tão certo o amor se vai no meio fio
Um passo errado é escorregar
Diante do amor o impossível
É má palavra a se pronunciar
Não se adiante no teu rio
E saiba que o rio vai dar no mar
Você me fez o homem mais feliz
Não tenho saída
Só posso mesmo chorar
Não consigo em outro abraço
Não consigo em outro colo
Não consigo em outra vida
A cada vez que eu tento
Morro um pouco mais
Não teve
Um só dia
Que eu não sonhei com você

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Explicação para saudade súbita

Não tem
Mesmo que haja força
Mesmo que vontade eu tenha
Ela vem
Uma furtiva lágrima
Desce rasgando a fronte
Promove um desespero sútil
Recorre meu pensamento
Me assola
Sinto raiva de mim
Sinto pena de mim
Sinto miséria
Nada a ver com beleza
Eu procuro
Eu acho
Eu desvendo
Eu me machuco
Também não moro mais em mim
Eu tento
Mas seguir é uma subida íngreme


ps. Essa canção nunca fez tanto sentido. Agora eu tenho motivo concreto para não gostar dela.




terça-feira, 8 de abril de 2014

É mais difícil quando acordo

Não que eu vá esquecer
Não que a manhã não me doa
Mas tem hora que é preciso
Respirar fundo
E suportar
A pratica vai justificando
A teoria
É tempo de dar tempo
Ao tempo
Em tempo
Tudo se dá

sexta-feira, 4 de abril de 2014

(Não) acabou

Não tenho coragem de voltar aqui
Ainda dói tanto que eu nem ouso escrever
Essa morte por dentro
Perdura
Tento
Mas isso é muito sério dentro de mim
(Não) acabou