quinta-feira, 5 de junho de 2014

Ácido ou sono?

Pode
Parte dessa parte
Uma virtude assombrosa
De vestido e duvidosa
Ser uma sincera espécie de mim
Corre pelo corredor
Corre a mão pelo corrimão
Tem escada, tem perigo
Cabeça e sentença
Presença, choro, gozo
Parando pra pensar
O meio fio é espaçoso
Acrescente coragem
Vinda dali
De longe
Reli
Aquela antiga carta
Não são cartas
Elas são cartas azuis
Atinjo
Mais nem mesmo
Sou capaz
Olhando no espelho
Minha sombra me diz mais
Espaço em branco
Ou em preto
O pb tem mais conceito
Temo respeito
Temo dinheiro
Temo com o temor
E o temo pode ser
Pode ter
Pode ser ter
Pisei em ovos pro teu sono não interromper
O chão foi inevitável não sujar
O chão foi inventado pra pisar
O chão foi feito assim pra se cair, se levantar