terça-feira, 16 de junho de 2009

Apenas

Esvaziei por dentro

Gotejei eterno

Me infiltrando pelas frestas

Sem chegar a nenhum lugar

Apenas

segunda-feira, 8 de junho de 2009

De quando eu sou subjetivo

Eu contemplei

Pela janela

Do outro quarto

A imagem

Antiga

A mesma

Da infância

E a sete copas

Da rua abaixo

Vermelhinha

Me emocionei

Eu respirei

O mesmo ar

Que eu tinha antes

O que às vezes

Não deixo entrar

Eu sou um ser

Que compra

O inusitado

Eu moro

Ao lado

Da minha lucidez

Eu cheiro

E choro

Eu leio

E fujo

Num pensamento

An passant

Eu coleciono subjetividades

As mais subjetivas

Idades

Coisas

Caixas

E desejos

Eu fico feliz

Ao ver uma árvore

Vermelhinha