quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

De cinzas

Serena tua memória
Envolve as falas
Dos vizinhos
Da TV
Some dentro
Em si
Desarma
Escreve tudo o que é você
Mas não tem explicação
Não tem mais
Nenhum porém
Quando vem a poesia
O peito se estasia
O corpo pede rima
Pede mais e se ilumina
Porque é mesmo carnaval
Outro céu
Pro bem, pro mal
Outro mau, pro bom, meu bem
Mais amor pra mais ninguém
Fantasia
Já desbotou
A alegria ultrapassou
O limite que ela tinha pra durar
Foi sozinha embora após seu desfilar
Tantos dias na batida de tambor
Essa alegria é triste sim senhor