domingo, 21 de setembro de 2014

Amor eterno

Por que não começar com poesia?
O dia com alegria, a vida com a garantia
De sentir-se em harmonia
Presente em paz
Ausente de angústia
Contente a esperança faz
Por que não começar cantando?
Ouvindo
Falando
Por que não dizer eu te amo?
Não ser
Não estar
Não comer, rezar, amar
Fosse real ainda seria inacreditável
Aqueles olhos abrindo
Olhos juvenis
Os seu olhos
Cumprindo sua função
No desenho do seu rosto
Seus olhos o despertando
Do seu sono, do seu sonho
Do seu universo paralelo
Do seu contato
Extra e intra terrestre
Qual é a aposta?
O que devo fazer?
Se eu quero que a vida nos dê
A graça, o elo, o poder
Para ter, como podemos dizer
Amor eterno

sábado, 13 de setembro de 2014

Vem logo...

Entrei sem bater
Cê não precisa
Nem bater também
Ta tudo aberto
Pode chegar
Corre pra cá
Me dá um beijo
Um cheiro
E me diz se há
Amor
De encontro, ato, fato
Trato, de contato
Amor
De vida inteira, de primeira
Sem coisa passageira
Amor
Tão viciante
Um bom montante
Desse teu
Amor
De tudo junto recorrente
Corpo, pele
Escova de dente
Amor, amor, amor