segunda-feira, 31 de março de 2014

Te espero

Eu acordei te amando mais
Eu sei
É foda
Mas eu cada vez te amo mais
Te amo mais do que ontem
E ontem te amei mais que anteontem
Sou feliz por esse amor
Com o tempo ele se ajeita
Se acerta no meu peito
E supera tua falta
Mas não morre
Não morre amor
Te espero

domingo, 30 de março de 2014

Não gosto da palavra impossível

Eu desidratei de amor
Esvaí
Nem soro
Nem antídoto
Meu remédio
Tem nome
Amar nunca é impossível
Nunca mais também acaba
Até ser pra sempre

Respiro

Ok
Olhei pela janela e respirei teu nome
Senti que o vento não era de boa notícia
Resisti confuso
Respirei de novo
O2
Respirei resoluto
Esquecendo
E lembrando
Inspirando
Expirando
Que ideia mais maluca
Por que as coisas assim se dão?
Num momento a gente vive
E no outro foi tudo em vão
Eu sei que os dias vão
Passar
Eu sei que a frente tem alguém
Mas o aqui e agora
É um lago denso
Difícil de atravessar
Meu espanto é teu poder
Tua força, teu não
Tua resistência
Tua opinião
Tua falta é CO2 dentro de mim
Preciso expelir

sexta-feira, 28 de março de 2014

Saudade

Saudade
Você me bate assim tão de repente
Que coisa
Sente
Esse meu coração
Você me comprime o peito todo
Eu fico louco
Só penso
Repenso
Eu penso outra vez
Meu corpo que pede
Minha intenção que eu reprimo
Não há ligação
Não há mais sua voz
Não há mais a vida
Que eu gostava de cuidar
O que vem depois do amor?
Pra onde vai o que acabou?
Existe um mundo outro
Propostas outras
De um mundo outro
Onde todos nossos momentos lindos
Acontecem sem parar
Saudade até desse lugar
Inventado
Saudade de lá

quinta-feira, 27 de março de 2014

Um som do bem

Até pensei
Que eu demorava pra voltar aqui
Quase sonhei
Mais um barulho me fez despertar
E era o trem
Das madrugadas todas de amor
Um som do bem
Que eu juro nunca mais vou esquecer
E passa o trem
Passa e vem, passa e vem, passa e vem
O som do trem
Um som do bem
Passa e vem
Até parar
Pra carregar
Um estoque de amor profundo
Pra uma viagem ele fazer
Vai percorrer por todo o mundo
Até no porto ele chegar
Lá onde o mar encontra a terra
Onde é tão fácil de me achar
E eu de lenço acenando
As boas vindas quero dar
Ao trem que chega buzinando
Anunciando
Um desejado desembarcar
Estou esperando
Mesmo que possa demorar
Passa e vem
O trem
E um som do bem

O bloco do imenso amor

Não vou parar
De escrever
O meu amor por você
Você me faz
Compreender
O que é viver

Lindo demais
É lindo demais
Um amor assim
É demais
É lindo assim

Muito e bem mais
Posso dizer
Todo esse amor
Todo em você
Pra você
De você

Eu quero mais é ver passar
O bloco do imenso amor
Pra quando na tristeza eu tiver
Lembrar que existe paz, alegria
Alegria, alegria, alegria..

E quando tudo
Voltar ao normal
Desejo tudo
Que o normal pode ser
Tudo que pode ser
Tudo que podemos

Como aquilo que está

Vou transformar em poesia
Esse imenso amor que eu tenho em mim
Eu quero lidar com fantasia
Com essa paz que não fazia
Mais meu coração
Você deixou tudo bem claro
Apaziguou minha emoção
Não que antes eu já não soubesse
Mas seu sorriso chancelou
Aquilo tudo que vivemos
Que foi tão bom e foi real
Eu te agradeço muito mesmo
Por ter me amado sem igual
Hoje não faria sentido cantar
Se não fosse pra você
Cartas e memórias
Vão se aproveitar
Do que eu sinto por você
Que o nosso amor perdure
E a alma queira bem
Que essa história continue
Quem sabe
Eu não sei
Se for pra pensar eu penso agora
Que algo pra mim não terminou
Apensas ficou lá no cantinho
Onde esse samba começou
Você é bem mais que especial
Foi você que me ensinou amar
Deve ter nesse mundinho
Um pouquinho de explicação
Pra essa coisa de coração
É difícil terminar
E seguir
E sentir
Não está a tua mão
Sobre a minha cabeça
Não está o teu perfume
Pregado em minha roupa
Mas está
Está
Ah Está!

terça-feira, 25 de março de 2014

Assim assim

Sabe que pra não perder o hábito
Eu habito essas palavras
Como bem você me sugeriu
Dias cinzas ficam claros
Ficam cinzas
Depois claros
E assim eu sigo
Assim eu sou
Sem colo

domingo, 23 de março de 2014

Desce a opção nada

Já tive decepções galopantes
Já estive em roubadas assim
O meu amor lavou de sangue o chão
Quando eu ouvi que não
O que era se acaba
O que foi se foi
Tem mais que uma palavra
Que descreve o terror
A luz que se apaga
O preto é um só
Mas não demora não
Eu vejo o horror
Não me interrompe não
Gritar até dói
Não se assusta não
Pode um grito pra dentro
Ecoar mais que tudo
E fazer um barulho
Mais cruel, desamor
Não importa nada
Nem grito
Nem escuro
No seu ouvido surdo
Nada mais chegará
Meu afeto docinho
Minha voz
Meu eu

domingo, 16 de março de 2014

Um amor (per)feito

Um amor feito o meu
Não se descarta não
Tem mais do que eu
Nessa separação
Tem dias inteiros
Muita solidão
Somos passageiros
Mas, não no mesmo vagão

Um amor feito o seu
Não é de descartar
É a coisa mais linda
Que alguém pode provar
É que a tua riqueza
É o teu imenso amor
E essa tua nobreza
Te faz encantador

Se alguém perguntar
Comece sem temer
E se acaso hesitar
O tempo vai dizer
Que estamos suspensos
No ar do amor
E de lá bem do alto
Nada se acabou


O amor feito em nós
Desatará

terça-feira, 11 de março de 2014

Construção

É praticamente impossível entender
Como é que tudo isso veio parar aqui
Dentro de mim
Eu perseguindo um destino
Eu progredindo nos levels
Eu por aí
Sem eu saber
Sem ninguém saber de mim
Tem ruas
Tem vias
Tem tempo
Cúmplices de um mesmo sentido
É praticamente possível
Se ver sem ser de espelho
É mais
Que simplesmente entender
Eu não sei mesmo o que vem a seguir
Eu não sei mesmo não sentir
Um pavor lá no fundo
No fundo, no fundo
Sou medo também
Profundo coragem também
Dentro de mim
Espaço que o tempo é agora
Quando é hora não atrasa pra ver
Tem muitos momentos não nítidos
Daqueles para acontecer
Que são
Uma parte
Pedaço, mais um
Da construção desse andar